Mulheres também são assim.

   Esses dias, estava pelo Facebook até que me deparei com um texto de uma menina que trazia exatamente essa reflexão: "mulheres também são assim". Na fala da menina ela coloca em pauta discursos feministas, machistas e transexuais. Eu não quero entrar nesse mérito simplesmente por que quero falar para mulheres e sobre mulheres, que muita das vezes nem se enxergam nesses discursos.
   Desde pequena eu fugia um pouco do padrão "menina": eu não gostava de cabelo solto, de vestido, da cor rosa, de blusa de alça, de sair "arrumadinha" e tantas outras coisas. Eu gostava de jogar bola, de fazer amigos e nunca tive problema em conversar com os meninos. Esse era o meu jeito de ser na infância. E sabe o que eu percebia? Que o que era natural e normal para mim, às vezes era incômodo pras outras pessoas. E nesse aspecto naturalmente eu fui sendo colocada desde muito nova como "diferente" e até mesmo "rebelde", quando na verdade eu só estava sendo eu. 
   Depois de muito anos, já adulta, eu me encontrei numa roda de conversa entre mulheres para falar sobre ser mulher e sobre o resgate do sagrado feminino. E mais uma vez minha maneira de vivenciar o feminino desde a infância foi questionada. As pessoas ainda acreditam que existem "mulheres que querem parecer homens", e que isso não é nada legal. E o que eu sempre dizia e nunca e entendiam era que eu não queria ser nada, eu simplesmente era assim! Sem fazer força, sem questionar, sem planejar. E nunca me senti ou fui menos meninas por isso. Afinal, eu era uma menina que agia um pouco diferente da maioria. Mas ainda sim era uma menina que me via e me colocava frente ao mundo e as pessoas como menina. E mesmo que eu fale isso desde sempre, parece que a divisão de caixinhas rosa  e azul ainda insistem em nos esconder de nós mesmas e do feminino que habita em nós!
   Sabe o que é mais louco? É que eu não era tão diferente assim das outras meninas, pois umas adoravam rosa e falavam baixinho ou quase nem falavam, mas outras queria correr o tempo todo e eram amigos de todos. Haviam também as que eram muito estudiosas e as que eram criativas, tinha as que adoravam esportes e as que eram curiosas! E essa diversidade entre nós mulheres e seres humanos em geral sempre existiu e sempre vai existir! Somo seres humanos, cada um com sua formação familiar, psíquica, emocional, religiosa... Cada um com sua complexidade humana e única. Ou seja, o padrão sempre foi e será fictício. Conheço mulheres que gostam de engenharia, de plantar, de cozinhar, de educação, de política, de esportes, de religião, de obra, de viajar.... Não é por que fugimos um pouco do mundo rosa dos salões de beleza que deixamos de ser mulheres! 
   E ainda hoje me entristece ver mulheres reproduzirem a ideia de "universo feminino" como algo restrito a moda, beleza, decoração e quem sabe organização/estudos. Mas, vamos olhar para nossa família, nossas mães, irmãs, tias, primas, avós, bisavós. Vamos olhar para nossas amigas e mulheres que nos rodeiam..... É realmente disso que elas gostam? É sobre isso que querem saber? Eu pelo menos estou cansada de ter somente esse tipo de conteúdo direcionado a mim. E percebo que muitas outras mulheres também estão, é só perceber o tipo de conteúdo que temos produzido cada vez mais pela internet, youtube, blog, facebook...
  Olhem nos olhos das mulheres que te cercam! Me digam o quanto elas têm desse esteriótipo feminino. Da minha experiência, sei que têm muito pouco. Por que mesmo as que mais se enquadram nesse perfil padronizado, elas também pensam mais do que esses limites que são humanamente impossíveis de serem reais. Até a penélope cor de rosa se saturou com essa imagem de mulher reduzida! A imagem também sobre a mulher "fútil" já está sendo cada vez mais quebrada por essas mulheres que não querem ser diminuídas pelos seus cuidados com a beleza. 
   Somos muitas e sempre fomos! Não se permitem e nem permitem que nenhuma criança que te cerce duvide de seu gênero por não se sentir enquadrada nesses padrões!  Mulheres também suam, também amam e deixam de amar, também seduzem e dispensam flertes, também correm, também pensamos e tamos opiniões dentre tantas outras coisas. Como exemplo, essa foto que postei no início foi o presente de um amigo paulista, e me ajuda a me sentir bem sempre pela menina que fui e pela mulher que sou. Essa sou eu,  mulher de cabelo bagunçado, sem brinco, meio sem jeito para ser bonita, mas sabendo que a beleza faz parte de todos nós e principalmente sorrindo como gosto: sem peso, sem  vergonha.
    Que possamos todas termos dentro de nós a leveza de saber que somos nós mesmas e sermos felizes por isso. Mulheres também são bem resolvidas consigo mesmas, também encontram paz dentro de si, mesmo com todas a dificuldades. Não tenhamos vergonha dos nossos sonhos, opiniões e da nossa imagem. Não tenhamos vergonha de ser quem somos. Mulheres também são fortes, também são amadas, também são felizes!

***

Deixe sua opinião aqui nos comentários! Contem lá como vocês se vêem como mulher ou se você for homem, conte como você vê as mulheres. Acredito que o maior poder de cura entre nós, maior poder de superarmos nossa dores e complexos é trocando entre pares, trocando entre nós mesmas. Além do que é importante para mim conhecer vocês! Então interajam na caixinha dos comentários!!
Beijos!
    

Comentários

  1. Muito pertinente seu post, amiga! Eu acredito muito nisso, nós somos diferentes uns dos outros e é impossível existir um padrão, até porque nós, ao nascermos já somos tão diferentes, com características físicas e de personalidades inúmeras e variadas. Além disso, cada um sabe o que se passa dentro de si e a maior maldade dessa vida é não podermos ser o que queremos e desejamos. É termos que viver mentiras porque a sociedade não aceita determinas formas de ser e agir. É muito cruel ter que se esconder, quando na verdade você é dono da sua vida. Ter opiniões todo mundo pode ter e deve ter, mas respeito é algo que é obrigatório pelo simples fato de que ninguém ter o direito de controlar o desejo de ninguém. Com as mulheres não é diferente. Que cada mulher possa ser da forma que quer ser.. que seja mulher, que seja menina, que seja ninfeta, que seja moleque, que seja ousada, que seja tímida.. apenas que seja desde que o "seja" esteja sempre relacionado ao respeito, reciprocidade, amor e verdade. Amei o texto, vamos em frente sempre! S2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, amiga! O pior que se pode fazer é oprimir alguém para que viva uma mentira! A verdade sempre será o caminho, principalmente se ela disser a espeito de quem nós somos! Por isso, devemos ser o que somos sem peso e com firmeza, pois sei que esse é o caminho para se criar uma sociedade sadia que sabe respeitar as diferenças e encarar a diversidade!
      Que o respeito seja nossa base e o amor o nosso norte!
      Eu que amei seu comentário, juntas somos mais fortes!<3

      Excluir
  2. Texto maravilhoso amiga!! 👏 você conseguiu falar tudo o que nós mulheres passamos. "Aquele padrão perfeito" que a sociedade coloca em cima da gente. Não é assim. Até pq perfeição nao existe.. E se existisse seria chato rs Nós seriamos verdadeiras bonecas artificiais. Ser mulher está mto alem de padroes colocados..é ser aquilo que VC/NÓS quer/queremos! É ser livre pra decidir o que quer, o que fazer, o que ser. E isso vale até mesmo pros homens. Que tb são "cobrados" pela sociedade. Ser homem tem que pegar geral ne? Tem que mostrar masculinidade o tempo todo ne? Não e Não! Eles tb tem que escolher o que querem ser. Eles tb estao livres pra decidir e acabar de vez com esses rótulos.
    Mas claro, nós mulheres somos as mais cobradas, as mais "rotuladas".. E isso entra ate mesmo em livros de historia até em reportagens atuais. O quanto sofremos no decorrer dos anos, pra conquistar nosso espaço..e o quanto sofremos no dia a dia com tanta obrigação imposta em cima da gente.
    "Eu Aline, falo palavrão mesmo! Falo alto mesmo! Me visto da forma que eu quero, seguindo ou nao a moda! Faço qualquer tarefa de casa pesada, desde consertar porta de armário até mesmo desentupir privada!
    Ontem eu gostava de azul, hoje eu gosto de rosa, mas amanha posso gostar de amarelo. Ontem eu tinha estilo roqueira, hoje sou mais pra patricinha, mas amanha posso ser hippie. Sou o que sou hoje. Sempre evoluindo da maneira que eu quero ser. Sou livre nas minhas escolhas! Todas nós somos! 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente amiga!! Afinal é o nosso jeito único que nos faz sermos especiais! As pessoas precisam parar de falar que nós mulheres "forçamo ser algo", quando na verdade muitas das vezes só estamos tentando exercer o direto de ser que nós somos! Mas, fico cada vez mais feliz por perceber que tanta meninas novas já estão se sentindo mais confiantes para serem o que elas quiserem! É essa autoconfiança que nos faz crescermos cada vez mais! TODAS NÓS SOMOS LIVRES! Quando entendermos isso ninguém mais crescerá sobre nós, mas caminharemos lado a lado! Obrigada, pela atenção das suas palavras! <3 Te amo!

      Excluir
    2. Siim amiga, tb vejo isso. Muitas meninas até mesmo mais novas que a gente estao já criando confiança de serem o que quiserem. E isso é mto bom! Pq mostra que a sociedade esta evoluindo e as pessoas estao logo assumindo o que sao e o que gostam (mesmo possuindo ainda preconceito, pensamentos antigos e antiquados). "Ser mulher" não é: ser do lar, dona de casa, que tem que saber cozinhar e arrumar uma casa..e ainda ter somente uma personalidade: ser recatada e comportada. "Ser mulher" é: saber que temos infinitas opções e oportunidades pra gente. Para sermos e fazermos o que quisermos! E construirmos a nossa própria personalidade e gostos. 😊

      Excluir
    3. Isso aí! Ser mulher é ser como cada uma de nós é e ponto! Toda nós existimos e precisamos ser vistas como mulheres exatamente pelo que somos! Juntas somos mais fortes!
      <3

      Excluir

Postar um comentário