Divagar sobre o que dói

Foto aqui.
Maior projeto do ano tirado da gaveta: o blog.
Maior projeto encaminhado do ano: o blog.
Maior projeto lutando para não esfriar: ser blogueira.

    Meu plano para 2017 era nenhum. Não havia listinha com grandes desejos para esse ano a não ser: concluir minha pós-graduação e ser convocada no concurso que já havia aprovado em 2016. Esse ano de 2017 era, na minha cabeça, para ser um ano de começar a colher alguns frutos dos esforços que vinha fazendo de 2015 até aqui. Mas, na verdade como muita coisa em minha vida: gerou crise. A pós se estende um pouco mais que o planejado, e ainda tenho o TCC pra fazer. Mas, o que me mata mesmo é não estar trabalhando no que eu quero e, afinal, no que estudei para isso. 
     Esse desabafo não é sobre como não temos controle sobre a vida, embora possamos controlar que sementes plantar agora para colher no futuro. Tampouco sobre a crise do jovem adulto dos 20 e poucos anos... Venho quebrar o silêncio dos dias sem postar para dizer que esse espaço ainda tão embrionário, embora já seja nascido, é minha maior alegria e desafio do ano. Eu tenho tantos planos aqui dentro para ele que chego a  me sentir ingênua gerindo todo esse sentimento de amor e gratidão por algo ainda tão pequeno. E é por isso que vim quebrar o silêncio.
    Às vezes, a vida nos impõe suas condições as quais não há como não se submeter. E é com esse espírito que já posso definir que os últimos 45 dias tenho me descoberto uma submissa e tanto. Essas condições impostas podem vir por questões de saúde, financeira, amorosa, familiar ou tudo isso junto. Mas, o que me faz ficar de pé para enfrentar a chuva, o vento ou o sol que for é a certeza de que há um propósito maior nisso tudo. Cada dor, cada "tirada de chão", cada susto e até cada medo são oportunidades oferecidas para que possamos crescer, ou até mesmo, ver o quanto já crescemos e  como conseguimos enfrentar essas adversidades sem espernear tanto, sem nos desequilibrar muito.
    A bandeira da submissão foi levantada nesse texto apenas para lembrar que quando uma tempestade nos é imposta é mais sábio deixar ela levar tudo, e depois, com a graça da sabedoria, você poderá perceber que na verdade o que ela fez foi muito mais que levar, mas lavar. É sempre válido lembrar que eu não tenho a compreensão do todo: do passado, presente e futuro. E, por isso, preciso me colocar nessa posição de ignorante frente a grandeza da vida e suas possibilidades. Na verdade por mais que eu me esforce, mal conheço meu coração.  Mas, a vida é implacável e você uma hora ou outra vai nos fazer perceber que quando for preciso ela vai se impor com toda sua força (e amor!). E vai nos fazer entender que se espernear cansa mais, dóis mais, demora mais a passar e no final ainda ficaremos com a sensação de que não chegou ao fim e muitas dores ainda ficarão atravessadas pelo nosso coração e na nossa mente. 
     Dessa maneira, eu fui conduzida a melhor entender o que me era imposto e pude sentir rápido que encarar de frente e buscar dentro de mim o que precisava ser transformado era o melhor a fazer. E o mais interessante é que a tempestade ainda não passou, mas eu já consigo me sentir menos molhada e com menos frio. E apesar dos dias afastada do blog e da escrita eu não deixava nunca de pensar em quando ia conseguir voltar e no que eu gostaria de compartilhar com vocês. Eu não exagerei quando disse lá em cima que esse é o meu maior projeto desse ano, até por que esse é o único que, até agora, eu posso gerir e fazer crescer com minhas próprias mãos. É o único que é meu mesmo, pois só depende de mim, enquanto todos os outros estão suspensos, por que dependo outras condições além da minha força de vontade e de criação.
    Mesmo assim, eu já me sinto bem para entender o valor que esse blog em um pouco mais de dois meses tem se mostrado para mim. Já sou agradecida pela alegria que ele me dá só de pensar que ele já existe e pode ser um grande canalizador de ideias, desabafos e troca. Esses dias me fizeram perceber que a blogosfera se tornou um norte na minha vida, um ponto de partida mas também um porto seguro. E que apesar dos dias de cabeça cheia eu sabia o tempo todo para onde voltar, seja para escrever, para interagir ou até mesmo para caçar leituras boas, distrair a mente ou aquecer o coração. Mesmo quando eu não produzo estou sempre de olho no que vocês estão produzindo, pois são esses conteúdos que me ajudam a me manter firme no meu processo de escrita no blog e mantem minha mente ativa e mais leve! A isso também declaro minha sincera gratidão: obrigada blogueiras/blogueiros por não me deixarem na mão com fotografias lindas e textos simples, mas repletos de coração e verdade.
   É claro que ainda virão muitas transformações e sou muito grata a elas, às dificuldades e às surpresas (boas e ruins) da vida por me fazerem crescer e mostrar o quanto eu já venho crescendo. E por ora vou seguir encontrando um jeito de fazer desse canto um espaço de vida, de acolhimento e troca, sem desisti ou pestanejar. Com carinho quero deixar dois conselhos: não briguem com a força da vida, busquem entender o que ela quer de você agora e dê o seu melhor! Até por que todo pesar é pouco diante da imensidão que é crescer e encontrar a paz depois de cada tempestade.

Foto de 2015: acervo pessoal.

***
Ps.: Pessoas, perdoem-me por embaralhar os dias de postagem, mas como estou com num momento complicado da minha vida vou priorizar escrever e postar independente do dia. Eu continuo tentando manter a postagem as sextas, mas se eu não conseguir já vou me permitir ficar feliz por pelo menos não parar de produzir, ok? Peço a paciência  e compreensão de todos. Enquanto isso podem continuar interagindo por aqui ou pelo Insta que eu sempre respondo e me sinto melhor com a participação de vocês! Beijos! 

                                                                   Me sigam:  INSTAGRAM

Comentários

  1. Não desiste do blog!

    Se quiser participar e/ou divulgar, separei um presentinho ara uma leitora lá no blog: https://oblogdafenixx.blogspot.com.br/2017/08/sorteando-blog-esta-de-volta.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desistirei! haha
      Obrigada pelo incentivo, passarei por lá!
      Volte sempre!
      :)

      Excluir
  2. Amei seu post e sua reflexão, espero que mesmo com algumas idas e vindas você sempre esteja presente por aqui! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também espero, até por que, mesmo com as dificuldades, tenho me dedicado muito para isso! Obrigada pelo apoio e atenção!
      Volte sempre!
      <3

      Excluir
  3. Amei seu post!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. adorei o post e a reflexão ♥ a vida pode ser mesmo muito doida e difícil as vezes, mas no final, tudo passa, né? e nós ficamos aqui, com os aprendizados das fases ruins. prontos para a próxima. e o blog nessa hora pode mesmo ser um refúgio, pra mim a melhor parte de blogar é se inspirar, crescer como pessoa, descobrir novas afinidades e fazer amizades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Karine! Por isso que não consigo me desapegar disso aqui, ainda mais quando conheço blogs tão legais, que tão abrindo um caminho paralelo de fama em que a honestidade entre as pessoas e a sua própria escrita prevaleçam!
      Obrigada pela sua visita e contribuição!
      Volte sempre!
      :)

      Excluir

Postar um comentário